22 de Março: Como evitar o desperdício de água em três níveis


Foto: Sasint/Pixabay


m seu Dia Mundial, algumas dicas para reflexão nesta data tão importante e para evitar o desperdício de água.

Quando eu era criança e, depois, adolescente, morria de medo de fantasmas. Cresci numa casa onde os garotos da rua, assim que nos mudamos para ali, diziam que era muito assombrada. Contaram muitas histórias. E eu acreditei em todas. Contudo, da mesma forma que era medrosa, nunca suportei desperdício de água. Torneiras pingando me causavam – e ainda causam – o mesmo pânico que o homem decapitado na mangueira. Mas, o que uma coisa tem a ver com a outra?

Senta que lá vem história… O quintal da minha tia dava para os fundos do quintal da nossa casa. E, durante algum tempo, íamos até a casa dela atravessando o quintal. Eu, bem medrosa como já dito, só fazia esse percurso à noite correndo, sem nem olhar para os lados. Toda vez era assim, na ida e na volta. Uma noite, enquanto corria, ouvi uma torneira pingando. Tinham duas por perto. No primeiro momento, segui reto, mas não aguentei e voltei para procurar o pinga-pinga. Fechada a torneira, saí em disparada novamente.


Hoje não tenho mais (tanto) medo de fantasmas, mas ainda tenho pavor de torneira pingando e de qualquer desperdício de água. Ver pessoas lavando a calçada com mangueira, sem ao menos usando uma vassoura para ajudar a tirar a sujeira, me doi na alma. Da mesma forma como torneira ligada direto, durante todo o processo da lavagem de louça ou da escovação dos dentes.


Por do sol no Rio Amazonas.


Por que evitar o desperdício de água?

É preciso não apenas porque qualquer desperdício é burro, mas porque o de água é ainda mais grave. Fomos levados a crer que esse recurso é infinito. Cresci na Amazônia, onde se vê muita água. Olhar aquilo ali e imaginar que um dia tudo pode acabar, beira o inacreditável. Mas pode acontecer.

Nesta semana, a Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou um relatório mundial sobre desenvolvimento dos recursos hídricos. O relatório traz um dado que se não nos chocar, nada mais choca: pelo menos 2 bilhões de pessoas não dispõem dos serviços mais básicos de acesso a água potável e saneamento. Antes de saber disso, eu acreditava que o número não passava de 1 bilhão, o que já é muito.

Portanto, se você, assim como eu, tem o privilégio de ver água toda vez que abre a torneira ou chuveiro e, mais, tem esgoto tratado, é preciso estar atento. Evitar o desperdício de água é o mínimo que podemos fazer.

Confira agora como evitar o desperdício de água:

Nível Básico – São ações simples, que podem ser adotadas no dia a dia, como:

– Evitar escovar os dentes com a torneira ligada.

– Na hora de lavar louças, ligar a torneira apenas na hora de enxaguá-las.

– Mesma dica para o banho: ensaboe-se com o chuveiro desligado.

– Nunca, jamais, em hipótese alguma, jogue lixo ou não deixe ninguém jogar em rios, mares ou qualquer curso d´água.


Nível Intermediário – Você precisará se esforçar um pouquinho mais.

– Verifique encanamentos de sua casa e a vedação das torneiras para evitar vazamentos e desperdício de água.

– Reaproveite a água da máquina de lavar ou da chuva para serviços domésticos, como lavar a calçada ou o quintal.

– Se não for possível usar água de reuso, use baldes, em vez da mangueira para esses serviços.

– Pratique o consumo consciente. Tudo o que consumimos necessita de água para sua produção. Quando você desperdiça qualquer coisa, também está desperdiçando água.

– O mesmo vale para alimentos. Não os desperdice.


Nível avançado – Para provar que você realmente é contra o desperdício de água.

– Evite o consumo de carnes. Como disse acima, tudo e o que se produz demanda o uso de água. Para se produzir um quilo de carne, gasta-se, pasme, 16 mil litros de água. Um único hamburguer custa para o planeta 2 mil e 400 litros.

– Seguindo a mesma lógica, dê preferência à compra de roupas usadas. Brechó é vida. E evita o uso de mais água na produção de novas peças.

– Cobre do poder público mais responsabilidade com a gestão dos recursos hídricos da sua cidade. Não adianta fazer esforços em casa, se fora de casa há desperdício na rede do município, né?

– Estude sobre o tema. Por que afinal há tanta gente sem água no mundo? É necessário saber o que vem – ou não – sendo feito para amenizar os problemas da falta de água e, especialmente, qual a relação disso com as mudanças climáticas.


E agora, para finalizar, uma dica extra: Se esse tema sensibilizou você, que tal se tornar um ativista em defesa da água? Espalhe essas informações para amigos e familiares e vamos todos cuidar desse recurso tão importante.

Por Ciléia Pontes – Jornalista.

0 visualização0 comentário