O que é greenwashing e como identificar essa prática antiética?


Imagem de Engin Akyurt por Pixabay


Veja como identificar a prática de greenwashing, que pode confundir nossa percepção sobre produtos, serviços e iniciativas vendidas como sustentáveis.


A prática de greenwashing está intimamente ligada ao setor de comunicação e marketing das empresas/marcas. Mas não sem o apoio da alta direção. Mas o isso significa, afinal? O termo, que pode ser traduzido para lavagem verde ou banho verde nada mais é que fazer parecer, por meio do marketing, que uma empresa, organização ou órgão governamental atua seguindo pilares da sustentabilidade ambiental.

Pode-se dizer que é o verde que não é realmente verde, um apelo forte para algo que se diz ecológico, sustentável, amigo da natureza; porém, se olhar mais de perto, veremos que não é bem assim.


Um exemplo do que é greenwashing

Um setor produtivo brasileiro, que patrocina a maior empresa de comunicação do país, e se diz “sustentável” por usar algumas técnicas mais amigáveis ao meio ambiente. Entretanto, a atividade-fim desse negócio destrói biomas, solos, polui cursos d´água e o ar. Nem precisamos citar e você já sabe do que estamos falando, né? De pop essa atividade não tem nada. De sustentável, muito menos.


4 Dicas para identificar práticas de Greenwashing

Mas como ficar atento e não cair no conto do produto sustentável e ser vítima de greenwashing? Não é tão simples de identificar, mas vale o esforço. Confira abaixo algumas dicas:


1 – Atenção para aquele produto “verde” com várias embalagens, misturando diferentes materiais, como plástico e papel. Para quem está preocupado com o meio ambiente, o ideal é desenvolver uma embalagem que se não puder ser reintegrada à natureza de forma correta – por meio da compostagem, por exemplo – seja feita de material com alto valor agregado para a indústria da reciclagem. Logística reversa é sempre bem-vinda também!


2 – Qualquer menção a um produto descartável como sendo melhor que um durável tem que ser analisada com muita desconfiança. Já vimos marca dizendo que copos descartáveis na empresa ajudariam a economizar água na lavagem dos copos duráveis. Corre! Em geral, se utiliza muito mais água para se fabricar um descartável do que para lavar o mesmo produto na versão durável.


3 – Sabe aquela empresa que cria uma linha de produtos “verdes”, que dizem ser produzidos com menos impacto, são mais sustentáveis e etc? Pois é, bem bacana. Mas não se esses produtos fizeram parte de uma linha segmentada, feita na medida para ter esse apelo ecológico, e que não representam a totalidade dos produtos fabricados por aquela marca. Um exemplo? Marca que diz que determinada linha de frango possui animais criados livres, alimentados com produtos orgânicos, levam boa vida antes de irem pro abatedouro. Pergunte como são criados os outros animais vendidos pela mesma marca e que não fazem parte dessa linha “verde”?


4 – Se o anúncio, rótulo ou propaganda não souber explicar por que o produto é ecológico, sustentável e deixar claro os benefícios para o meio ambiente, fuja! Cuidado com rótulos e anúncios vazios, feitos para chamar a atenção e fazer algo parecer o que não é.

E aí, com essas informações você consegue identificar práticas de greenwashing em produtos e técnicas de marketing e propaganda por aí? Se você gostou deste conteúdo, compartilhe com amigos e parentes, para que mais pessoas não caiam no conto do produto amigável ao meio ambiente.

3 visualizações0 comentário